O vírus não é democrático: a pandemia da Covid-19 como acontecimento e a disputa de discursos

por Jorge Osvaldo Romano, Thais Ponciano Bittencourt, Paulo Augusto André Balthazar, Liza Uema, Eduardo Britto Santos, Annagesse de Carvalho Feitosa, Renan Alfenas de Mattos, Paulo Petersen, Juanita Cuellar Benavídez, Ana Carolina Aguiar Simões Castilho, Caroline Boletta de Oliveira Aguiar, Érika Toth Souza, Larissa Rodrigues Ferreira, Myriam Martinez dos Santos, Vanessa Barroso Barreto


Este texto inaugura a série de artigos Populismo e Crises com a análise política dos principais discursos sobre a pandemia da Covid-19: o “negacionista” e o “científico” no debate nacional e internacional, um trabalho do Grupo de Pesquisa “Discurso, Redes Sociais e Identidades Sócio-Políticas (DISCURSO)”. Neste primeiro artigo, propomos acessar a pandemia da Covid-19 como um acontecimento. Esse olhar permite destacar os impactos desiguais da pandemia, assim como considerar uma suspensão da hegemonia e as oportunidades de disputa política que essa suspensão abre. Em seguida explicitamos o instrumental metodológico da proposta, fundado na análise política dos discursos e na abordagem de marcos interpretativos. Com esse instrumental, procuramos reconstruir sucintamente o campo discursivo, os discursos em debate e os principais porta-vozes dos discursos negacionista e científico.


Acesse o artigo completo na página do Le Monde Diplomatique.


Cenas da Favela de Paraisópolis, São Paulo. Créditos da Imagem: Marcos Alonso

10 visualizações