Eu não transijo para salvar vidas: o discurso de Ronaldo Caiado

por Ricardo Dias, Jorge O. Romano, Thais Ponciano Bittencourt, Liza Uema, Paulo Augusto André Balthazar, Annagesse de Carvalho Feitosa, Eduardo Britto Santos, Daniel Macedo Lopes Vasques Monteiro, Daniel S.S. Borges, Juanita Cuellar Benavídez, Renan Alfenas de Mattos, Ana Carolina Aguiar Simões Castilho, Caroline Boletta de Oliveira Aguiar, Érika Toth Souza, Juana dos Santos Pereira, Larissa Rodrigues Ferreira, Myriam Martinez dos Santos, Pamella Silvestre de Assumpção e Vanessa Barroso Barreto


Este trabalho faz parte da segunda fase da série “A análise dos discursos sobre a pandemia da Covid-19” produzida pelo Grupo de Pesquisa “Discurso, Redes Sociais e Identidades Sócio-Políticas (DISCURSO)”. Nesta fase nos detemos na análise dos principais porta-vozes nacionais e internacionais dos discursos negacionista e científico. No presente artigo trazemos a análise política de um dos principais porta-vozes nacionais do discurso científico sobre a pandemia: Ronaldo Caiado, governador do estado de Goiás. Com tal objetivo, recuperamos os aspectos centrais da trajetória sociopolítica do mandatário em Goiás e no Brasil, esquadrinhamos os constrangimentos e oportunidades com os quais se defronta antes e durante a pandemia e, por fim, examinamos posicionamentos e vieses discursivos produzidos por ele nessa conjuntura assim como os desdobramentos e ecos políticos que se fazem sentir na relação entre o porta-voz e seus interlocutores.

Acesse o artigo completo na página do Le Monde Diplomatique.





5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo