Ciência X Desinformação: o discurso da Organização Mundial da Saúde

por Érika Toth Souza, Jorge O. Romano, Ana Carolina Aguiar Simões Castilho, Caroline Boletta de Oliveira Aguiar, Juana dos Santos Pereira, Larissa Rodrigues Ferreira, Myriam Martinez dos Santos, Pâmella Silvestre de Assumpção e Vanessa Barroso Barreto, Thais Ponciano Bittencourt, Liza Uema, Paulo Augusto André Balthazar, Annagesse de Carvalho Feitosa, Eduardo Britto Santos, Daniel Macedo Lopes Vasques Monteiro, Daniel S.S. Borges, Juanita Cuellar Benavídez, Renan Alfenas de Mattos e Ricardo Dias.


O presente texto faz parte da segunda fase da série de artigos do Grupo de Pesquisa “Discurso, Redes Sociais e Identidades Sócio-Políticas (DISCURSO)” na qual realiza-se a análise dos porta-vozes dos discursos científico e negacionista ao lidar com a pandemia do Covid-19 a partir da análise de discursos desenvolvida por Mouffe e Laclau.


Alterando a normalidade estabelecida pelas relações de poder dominantes, o acontecimento pandemia Covid-19 coloca em suspense a formação hegemônica vigente, dando margem à disputa política de discursos – o “negacionista” e o “científico”, que articulam com ênfases diferentes dois polos temáticos: a sustentabilidade da economia e a sustentabilidade da vida – com suas narrativas nas dimensões nacional e internacional. Neste artigo, procura-se caracterizar um dos principais porta-vozes internacionais do discurso científico: a Organização Mundial da Saúde.

Acesse o artigo completo na página do Le Monde Diplomatique.